terça-feira, 16 de agosto de 2022

c96824c8f6cbff4fc8c2540d74301543

Em Mato Grosso, 4.391 pessoas que não ouvem 100% e outras 127 mil têm algum nível de deficiência auditiva, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Ouvir bem é um prazer que não é permitido a toda a população, infelizmente. Em Mato Grosso, 4.391 pessoas que não ouvem 100% e outras 127 mil têm algum nível de deficiência auditiva, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Mas, quem ainda enfrenta esse quadro, pode revertê-lo e passar a ter mais qualidade de vida, por meio de aparelhos auditivos de alta tecnologia.

A audição é um dos sentidos mais importantes na nossa percepção de mundo, do entendimento do que está acontecendo perto ou longe.

O barulho da chuva, o som do trovão, o assovio do vento, a emoção da música, a conectividade com os sons da natureza, do dia e da noite. Seja o grito ou a voz suave do eu te amo, tudo passa pelo sentido da audição. E essa emoção pode ser trazida pela empresa Audax Aparelhos Auditivos, que tem ampla experiência no mercado.

A perda de audição é um problema que atinge um grande número de pessoas, de todas as idades no Brasil. Segundo o IBGE, no Brasil, mais de seis milhões de pessoas possuem capacidade auditiva reduzida. Uma vida só é possível com a ajuda de aparelhos auditivos.

Eles estão cada dia mais modernos e discretos e oferecem variedades e possibilidades. Principalmente transformar por completo e para melhor a maneira de se relacionar com tudo, com o mundo a sua volta.

Segundo a fonoaudióloga Samia Helena Ribeiro, que atua na Audax, “os aparelhos auditivos trazem benefícios na vida do paciente em relação à comunicação, tira do isolamento social que deixa a pessoa mais nervosa porque não escuta direito, não entende e fica sem paciência. Mas quando passa a usar o aparelho, a comunicação melhora, a pessoa sai do isolamento social, melhora a interação.”

“A falta do aparelho auditivo e a dificuldade para ouvir podem causar demência, acelerar o Alzheimer, comprometendo totalmente a qualidade de vida. Quem não escuta bem não processa direito qualquer informação. Então o aparelho vai estimular o nervo auditivo para não deixar também atrofiar”, diz.

Os aparelhos auditivos têm estilos e modelos diferenciados. O profissional de fonoaudiologia pode orientar o paciente sobre qual o melhor tipo de aparelho auditivo que se adapte às necessidades de cada um.