terça-feira, 16 de agosto de 2022

WhatsApp-Image-2021-08-01-at-23.15.00-(1)-(1)

A Polícia Civil prendeu, na noite da última quarta-feira (04), o terceiro sargento do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, Alberto Ribeiro Pinto Júnior, de 45 anos, acusado de pilotar o helicóptero que caiu no último domingo com cerca de 300 quilos de cocaína nas proximidades da cidade de Poconé (104 quilômetros de Cuiabá).Quem encontrou o homem foram os próprios colegas do Corpo de Bombeiros, que atuavam em um incêndio na região.

Os homens do Corpo de Bombeiros estavam combatendo um incêndio na região onde caiu o helicóptero, quando encontraram o acusado, que estava bastante debilitado em uma fazenda. Ele chegou a alegar que estava no local parar retirar peças de uma aeronave.

Durante o trajeto até a cidade, o homem confessou que era ele o responsável por pilotar o helicóptero que caiu em Poconé. Ele ainda tentou convencer os militares a liberarem ou deixarem ele em um hospital. O carioca é faixa preta  de jiu-jitsu.

Consta na  Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que o dono da aeronave é o papiloscopista policial Ronney José Barbosa Sampaio, do Distrito Federal.

Em entrevista ao G1 do DF, o homem disse que vendeu o helicóptero em maio. “Tenho todos os documentos da venda do helicóptero, fiz a transferência da minha parte. Mas esse processo é igual quando vende um carro. Se o comprador não for lá e fizer a transferência para ele também, ele continua no meu nome”.

De acordo com ele, o helicóptero foi vendido para um homem que mora em Mato Grosso do Sul (MS), que não foi localizado pela reportagem.
O caso
Uma ação integrada entre a Polícia Federal, Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), e o Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), no último domingo (1º), resultou na apreensão de quase 280 quilos de cocaína, que estavam em um helicóptero que caiu nas proximidades de Poconé (104 quilômetros de Cuiabá).

O helicóptero carregado com a droga caiu no município de Poconé e acabou sendo localizado pelas equipes. Não houve registro de vítimas e nem de pessoas feridas. A aeronave é de modelo Robson 44 e está avaliada em R$ 425 mil. A apreensão dos 278,51 quilos de Cocaína, que estavam no helicóptero, resultou em um prejuízo de R$ 6.950.000,00 aos criminosos.

Fonte: Olhar Direto