terça-feira, 16 de agosto de 2022

0C194E52-6E76-4FA5-A66B-07135036A1C9

Thays Amorim
Única News

(Foto: Marcos Vergueiro)

image

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), afirmou que o governador Mauro Mendes (UB), seu principal adversário político atualmente, chegou a oferecer cargos para que ele não fosse candidato à Prefeitura da Capital, durante a campanha de 2016. Na época, os correligionários eram amigos, sendo que Mauro desistiu de ser candidato às vésperas das eleições.

“Eu acho que Mauro Mendes morre de medo de me enfrentar. Ele já correu uma vez quando eu anunciei, em 2016. Ele morre de medo, ele quer evitar esse debate. Em 2016 ele correu, eu lancei a candidatura duas semanas antes dele, ele foi lá e pediu pelo amor de Deus, para eu aceitar indicar o vice e mais duas secretarias e eu falei, não, Mauro, não tem mais jeito, agora eu sou candidato, você perdeu a oportunidade”, disse, em entrevista na última segunda-feira (28).

Segundo o emedebista, o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa (ALMT), deputado Max Russi (PSB), estava presente na conversa, além do presidente do União Brasil, o senador em exercício Fábio Garcia.

A proximidade de ambos era tanta que Emanuel chegou a ser coordenador de campanha de Mendes na disputa ao Palácio Paiaguás, em 2012. Contudo, o emedebista tem uma visão diferente: o governador nunca teria sido seu amigo, de fato.

“Eu era amigo dele, mas ele não era meu amigo. Até porque ele não é amigo de ninguém, ele é amigo do grupinho, da panelinha. Eu sou Mato Grosso para todos, ele é Mato Grosso para poucos, para os sócios, apaziguados. Isso tudo, em um momento oportuno, vai aparecer de forma clara e transparente, e nós vamos poder debater Mato Grosso em alto nível”, apontou.