terça-feira, 09 de agosto de 2022

05312E3C-6C82-4A7B-BA20-40202DB98A4A

O deputado Wilson Santos articulou a primeira reunião entre a Secel, Ação e Operário

Única News
Da Redação

Foto: Assessoria

image

Uma reunião realizada nesta segunda-feira (10), na sede da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer (SECEL), deu início às tratativas para regulamentação da lei 11.150/2021, no que diz respeito aos repasses do Governo aos times que vão representar Mato Grosso na Série D do Campeonato Brasileiro de futebol deste ano. Eles vão repartir R$ 1 milhão do Programa Mato Grosso na Série A.

Serão beneficiados o Ação, de Santo Antônio de Leverger, campeão do campeonato estadual de 2021, e o vice, Operário, de Várzea Grande. Seus diretores receberam, hoje, a lista de documentos e certidões que exigidas pela Secel, gestora do programa e responsável pela regulamentação da lei.

Quando aprovada em novembro de 2021, a legislação, de autoria do Executivo, previa apenas repasses aos times da Série A (R$ 3,5 milhões) e da Série B (R$ 1 milhão) da competição. Como Mato Grosso não tem equipes na segunda categoria, o deputado estadual Wilson Santos (PSDB) entendeu que os recursos deveriam ser usados para estruturar as demais equipes do campeonato e fez uma emenda à lei garantindo os repasses ao Ação e ao Operário.

Não era justo que apenas o Cuiabá (Série A) e os outros times sem apoio

“Não era justo que apenas o Cuiabá (Série A) fosse beneficiado e os outros times sem ficassem de fora. Fiz a emenda, conversei com o governador Mauro Mendes (DEM), articulei a aprovação junto aos demais deputados e conseguimos atender todas as equipes”, explicou o deputado.

Wilson lembrou que o União, de Rondonópolis, e o Nova Mutum, que vão disputar a Série C, não serão beneficiadas este ano porque conquistaram o acesso antes da sanção da lei.

“Como a Lei é de 3 de novembro de 2020 e estas equipes conquistaram acesso à Série C no final de setembro, antes da sanção da lei, elas não podem ser contempladas este ano. Isso porque não deram a contrapartida do programa que é a publicidade da marca do Governo nos uniformes e no painel de entrevistas. Em 2022, a Série D começa em abril. Assim, o Ação e Operário terão tempo suficiente para organizarem a papelada e se tornarem aptos ao benefício”, explicou.

Os times precisam apresentar à Secel certidões e outros documentos necessários para acesso aos recursos do programa. O prazo para avaliação é de 60 dias.

O secretário de esportes, Beto Dois a Um, disse que o objetivo do programa é difundir as potencialidades turísticas, econômicas e ambientais de Mato Grosso. Levar o nome do estado aos quatro cantos do país valendo-se da visibilidade do futebol. Ele garantiu que a Secel já estuda um convênio com a FMF para incentivo ao futebol em todas as suas categorias.

“Queremos estruturar o esporte desde a base até a categoria profissional. Já estamos trabalhando um Termo de Ajustamento de Gestão envolvendo o Governo, a FMF, Mistério Público e Tribunal de Contas para dar prosseguimento à esta parceria. Estamos felizes em contribuir, incialmente, com as equipes que vão disputar o Brasileiro. Isso representa um grande passo da gestão Mauro Mendes”, garantiu.

Participaram da reunião o secretário Beto Dois a Um, o deputado Wilson Santos, representantes das equipes e o diretor executivo da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), Humberto Frederico.