terça-feira, 09 de agosto de 2022

FC728C99-00FA-49D8-9B1A-F3202EAD510C

Dilemário, Edna, Diego e Michelly têm discurso dúbio

Luis Vinicius

A Gazeta

MICHELLY-DILEMARIO-DIEGO

Os quatro vereadores de Cuiabá, que votaram contra o projeto de lei que garante mensalmente auxílios de até R$ 8 mil, apresentaram requerimento ao presidente da Câmara Municipal, Juca do Guaraná Filho (MDB), para receberem os benefícios ainda em janeiro. Só com o grupo de parlamentares serão gastos mais de R$ 25 mil.

Solicitaram os benefícios Dilemário Alencar (Podemos), Diego Guimarães (Cidadania), Michelly Alencar (DEM) e Edna Sampaio (PT), respectivamente. Os auxílios foram aprovados em sessão extraordinária realizada no fim de dezembro.

Com isso, os parlamentares têm o direito a auxílio-transporte, de R$ 5 mil, auxílio saúde, de R$ 1,6 mil e auxílio alimentação de R$ 1,4 mil. Dilemário e Diego solicitaram os três tipos de benefício.

Com isso, serão gastos, só com os dois parlamentares, R$ 16 mil. Já Michelly solicitou vale-alimentação e transporte, o que custará R$ 6,4 mil para os cofres públicos.

 

Já Edna requereu os auxílios alimentação e saúde. Os benefícios cedidos à parlamentar trarão um impacto de R$ 3 mil à Câmara Municipal.

O que dizem os vereadores 

 

Michelly Alencar 

“O auxílio-transporte é simplesmente uma recomposição. Os meus resultados mostram. Eu sou a vereadora que tem mais indicações. Ele (o auxílio) substitui o carro que eu entendo que serve para atender as necessidades da comunidade. O auxílio é uma recomposição daquilo que nós tínhamos (carro). Já o alimentação é realmente válido para os que estão todos os dias na Câmara. Se eu não aceitar, esse dinheiro vai para Câmara”.

 

Diego Guimarães

“Votei contra, mas eu prefiro que eu utilize para poder fazer um trabalho na Câmara Municipal em prol da sociedade a deixar na mão do Juca do Guaraná. Eu já abri mão de carro, combustível e telefone, pois eu acreditava que não precisava. Acho que não deveria ter, mas como tem eu vou utilizar para que meu gabinete continue prestando bons serviços”.

Edna Sampaio

“A minha saúde dependeu de muito mais gastos durante 2021. A quantidade de vezes que eu tive que me alimentar fora de casa é multíssimo maior antes de eu ser vereadora. Eu não vejo que tenha imoralidade nisso (nos pedidos). Eu não votei favorável, pois eu não achei justo com a população. Não vou deixar o valor dos auxílios para Câmara, porque será gasto com outras coisas”.

Dilemário Alencar

“Se (os auxílios) não forem aprovados, volta para o bolso do paletó. Nós votamos contra, assim como também o salário. O salário não tem como devolver. Eu estou avaliando a questão do transporte, porque os carros foram devolvidos. Eu prefiro usar os recursos na fiscalização a deixar voltar para o bolso do paletó”.