sexta-feira, 12 de agosto de 2022

138B682D-1D2D-437B-976E-85B79F90C25F

Única News
Da Redação

Foto: Divulgação

image

Os dirigentes do Partido dos Trabalhadores (PT) querem reduzir o número de debates na campanha presidencial deste ano.

O partido, que tem o ex-presidente Lula liderando todas as pesquisas de intenção de voto, está sugerindo que os veículos de comunicação formem “pools” – cadeia nacional – para realizar estes eventos de forma conjunta.

Os petistas argumentam que a quantidade de convites é enorme e deve crescer mais nos próximos meses. Conforme eles, o excesso acabaria restringindo muito o tempo para a campanha de rua e viagens pelo país.

Em 2006, Lula não participou do último debate do primeiro turno, realizado pela Rede Globo. O fato foi explorado pelos adversários e acabou sendo decisivo para que ele tivesse de disputar a rodada final da eleição.

Na época o adversário de Lula foi Geraldo Alckmin, que hoje é cotado para ser seu vice.

O partido também já começou a preparar a comunicação da campanha presidencial.

O PT pediu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para veicular 8 inserções de TV em abril, 12 em maio e 20 em junho, com o intuito de já reforçar a pré-campanha de Lula.

O mote é resgatar a “felicidade” e o “orgulho” dos brasileiros nos anos em que a legenda governou o país.