terça-feira, 16 de agosto de 2022

BB72B1F9-A38C-4217-BDDB-A99845074D59

Quem ainda não tomou a dose de reforço (terceira dose) deve ir aos locais de vacinação receber o imunizante

ROBERTA PENHA

Davi Valle

Clique para ampliar

A partir da próxima semana todos as pessoas imunossuprimidas a partir de 12 anos poderão receber a quarta dose. No mês de dezembro de 2021 apenas os imunossuprimidos de 18 anos acima estavam liberados para receberem esta dose, mas a nota técnica do Ministério da Saúde, emitida nesta semana, liberou a quarta para este novo grupo.

“É inegável a importância da vacinação no controle desta pandemia, pois mesmo com a alta transmissibilidade da variante Ômicron, o número de pacientes que têm complicações decorrentes da COVID-19 e de óbitos diminuiu drasticamente. E as equipes responsáveis por pacientes graves de COVID-19 são unânimes em dizer que a maioria das pessoas que têm complicações não tomaram a vacina ou não completaram o esquema vacinal. Portanto, se o Ministério está recomendando mais uma dose para os imunossuprimidos, que são os que correm mais risco, nós vamos seguir”, comentou o prefeito Emanuel.

A coordenadora da campanha Vacina Cuiabá – Sua Vida em Primeiro Lugar, Valéria de Oliveira, explica como será a aplicação desta nova dose. “De acordo com a nota técnica do Ministério da Saúde a quarta dose será para pessoas acima de 12 anos que sejam imunossuprimidas e que tenham tomado a dose de reforço há 4 meses completos. Assim como a terceira, a quarta dose será feita com a vacina da Pfizer”.

Quem já estiver no prazo para tomar a quarta dose e for do grupo contemplado, deve comparecer a qualquer local de vacinação para adultos a partir de segunda-feira (14), munido do cartão de imunização e de um documento pessoal. A coordenadora relembra que grande parte da população está atrasada para tomar a terceira dose, chamada dose de reforço e faz um apelo para que continuem com o esquema vacinal. “Não chegamos a 30% de aplicação da dose de reforço (terceira dose) em toda a população adulta. Precisamos que estas pessoas também procurem os locais de vacinação, para reforçar a imunização. A pandemia ainda não acabou, por isso ainda não podemos baixar a guarda. A dose de reforço, ou terceira dose vai dar uma proteção ainda maior para a população”, finaliza Valéria.