sexta-feira, 12 de agosto de 2022

2B99343C-BA4A-4361-958F-966980D10D76

 Força eleitoral de Botelho desestimula correligionários

O Democratas, que aguarda apenas o registro no TSE para se tornar União Brasil, deve sofrer uma debandada de pré-cadnidatos a deputado estadual. Com medo da força eleitoral dos deputados estaduais Dilmar Dal Bosco e Eduardo Botelho – que devem fazer mais de 25 mil votoso cada —, ninguém quer servir apenas de escada para reeleger os dois.

Estão na lista dos que deverão mudar de sigla para concorrer os atuais secretários Gilberto Figueiredo (Saúde) e Alberto Machado (Cultura) e também o presidente da Metamat, Juliano Jorge – irmão do deputado Romualdo Junior.

A estimativa é que o Quociente Eleitoral para deputado estadual fique em torno de 65 mil a 70 mil votos. Sem coligação, essa é uma quantidade de votos considerada alta para ser conquistadas por apenas 26 candidatose o Dem não teria nem 15 viáveis até o momento, segundo fontes ouvidas pela coluna.

Mesmo considerando a repescagem das vagas remanescentes, só os candidatos que fizerem pelo menos 20% do quociente disputaram as chamadas “sobras”. Ou seja, quem fizer menos de 13 mil votos dificilmente conseguiria um mandato, já que partidos que atingirem 80% do QE também disputariam essas vagas remanescentes.

 

 

 

 

fonte: hnt