terça-feira, 16 de agosto de 2022

ubs_centro_1200x675_05012022183922

Ambos as mortes foram casos de gripe A e as duas pessoas eram vacinadas contra influenza

Da Redação | ACidadeON Campinas

A secretaria de Saúde de Campinas confirmou na tarde desta quarta-feira (5) duas mortes de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) por Influenza (o vírus da gripe).

O primeiro caso aconteceu em 30 de dezembro do ano passado e o segundo em 2 de janeiro deste ano. Os dois tiveram sintomas iniciados no ano passado e, portanto, foram registrados no balanço de 2021.

De acordo com a pasta, ambos foram casos de gripe A. Os subtipos não foram identificados.

A primeira vítima foi uma menina de 12 anos, que tinha doenças anteriores (comorbidades). A segunda foi uma mulher de 87 anos, também com comorbidades.

As duas pessoas eram vacinadas contra influenza e os casos estão notificados de acordo com a data de início de sintomas.

LEIA TAMBÉM
Entenda os sintomas da dupla infecção por covid e gripe
Campinas tem dois casos de dupla infecção por covid-19 e Influenza

NO TOTAL

Ao todo, no ano passado foram confirmados 27 casos de SRAG por influenza (quatro H3N2 e 23 não subtipados). Deste número, duas pessoas morreram (subtipos não identificados).

Em 2020 foram 15 casos e nenhum óbito (dois H1N1, um H3N2, cinco de gripe A sem identificação e sete de gripe B). Em 2022 há dois casos de SRAG por influenza (gripe A não subtipada) e nenhuma morte.

SITUAÇÃO ATUAL

Campinas registra atualmente lotação de hospitais devido a demanda acima do normal para casos suspeitos de covid-19 e de quadros gripais.

Com isso, a Administração informou ainda que vai contratar mais 163 profissionais de saúde para a Rede Mário Gatti. Serão 28 médicos, 108 técnicos de enfermagem e 27 enfermeiros.

ATESTADO MÉDICO

Além desta medida, a cidade vai emitir atestado sanitário que garante a ausência no trabalho por três dias e encaminha a pessoa que tiver sintomas leves de gripe para atendimento na saúde.

Após a consulta e a avaliação médica, a licença obriga a permanência em isolamento domiciliar durante 14 dias. Segundo a secretaria de Saúde, o solicitante que apresentar informações falsas pode responder judicialmente.

 

 

 

 

 

fonte: A cidade on